Fotografia de Amor

Quando comecei a fotografar neste segmento, explicava meu trabalho falando da linguagem do fotojornalismo aplicada à fotografia social. Tinha a intenção de contar histórias com imagens. Mas percebi que esse tipo de fotografia vai além do simples registro de pessoas e momentos. Porque a cada encontro com uma família, seja num ensaio ou num evento, o que eu vejo pra ser fotografado é um algo a mais nos olhares, sorrisos e expressões. E desconfio que esse algo a mais é o amor.

Por isso, hoje gosto de dizer que conto histórias com fotografia de amor. E que tenho como desafio revelar em imagens essa emoção que, como bem definiu o Projeto M.I.L.K. (Moments of Intimacy, Laughter and Kinship), expande o nosso coração e nos inspira na condição de poetas e pais, companheiros e vizinhos, irmãos e cidadãos. E ouso complementar: na condição de fotógrafa também.