Começar de novo

LogoLilianN_fundotransparente_300dpi_png (1)

Apresento a vocês o meu novo logo, assinado pela minha querida amiga Grazi Vancine!

Mais uma motivação para o meu recomeço na fotografia. Não que eu tenha parado, porque continuei fotografando nesses três últimos anos em que me tornei doceira. Considero um recomeço porque a partir de agora estou comprometida a me dedicar mais a essa atividade, o que inclui muito estudo, pesquisa, investimento, treino e trabalho.

Continuarei com o Doce mundo de Lili também, mas para que eu possa ser mais fotógrafa, a carga horária na cozinha terá de ser reduzida. De qualquer forma, está garantida a entrega semanal na Wa Mercearia de pelo menos um sabor dos biscoitinhos!

Outras novidades

Em breve, este blog estará de cara nova, mais bonito, profissional e funcional. O novo visual da casa já está sob os cuidados da Eureka Digital.

Os endereços do blog e de e-mail serão outros e estão sendo providenciados. Por enquanto, quem quiser solicitar um orçamento, pode me enviar um e-mail para lilian-nakashima@uol.com.br.

Logo mais, terei também outro canal de comunicação com vcs: uma fan page no facebook.

No ano passado divulguei que não fotografaria mais eventos. Agora, com toda essa mudança, volto a fotografar aniversários, batizados e pequenas comemorações.

Que bom seria mudar tudo o que gostaríamos num estalar de dedos, não é mesmo? Mas pensando bem, vai saber se daríamos o devido valor ao resultado de tanto esforço pra que as boas mudanças acontecessem, né!

Vamos em frente 😉

Esperando Pietro com mais um post sobre amizade

No post anterior falei dos amigos dos amigos que se tornam amigos. Hoje falo da amizade que nasce no ambiente de trabalho. Como aconteceu comigo e com a Graziela, a linda gravidinha deste post. Quando trabalhei numa agência de comunicação, a Grazi era minha cliente numa multinacional, ajudando a coordenar a revista para a qual eu escrevia e fotografava. Tínhamos um trabalho super afinado.

Os anos passaram e a Grazi, que também é jornalista, resolveu passar para o outro lado do balcão (como costumávamos dizer) e se tornou minha colega na agência.  Com a convivência diária e muita afinidade, acabamos nos tornando amigas. Eu, ela e toda a equipe da redação. Éramos cinco, uma turminha muito bacana.

Mais alguns anos se passaram e a Grazi retornou à comunicação numa outra grande corporação. Deixamos de ser colegas de trabalho e passamos a ser somente amigas, compartilhando todos os bons e nem tão bons momentos da vida.

Chegou a minha vez de sair da agência. Fui para a comunicação de uma grande construtora, onde fiquei apenas um ano. Um período curto, porém enriquecedor em todos os sentidos, principalmente no quesito amizade. Mas este assunto fica para um outro post.

Nessa época a Grazi estava retornando do Canadá. Ela também tinha saído da empresa para a qual trabalhava. Contei que eu estava fazendo alguns freelas, que tinha alguns projetos em mente e que estava recebendo muito apoio de uma grande amiga (amiga de amiga que ficou minha amiga). Propus a ela pensarmos em algum trabalho conjunto e numa dessas conversas, descobrimos que alguns dos meus amigos que estavam me ajudando eram amigos dela também. Coisas lindas da vida.

Depois de alguns pequenos projetos, chegou em nossas mãos um trabalho para um grande banco. E neste momento criamos a nossa agência de comunicação. Ficamos apenas pouco mais de um ano à frente deste empreendimento. Diante das dificuldades, tanto eu quanto a Grazi só tínhamos a agradecer por todo apoio que recebemos dos amigos nessa época. Mais uma vez os amigos. Sempre os amigos.

Resolvi abandonar a comunicação e me tornar doceira e fotógrafa. E a Grazi decidiu ser designer, complementando o trabalho de redação. Mesmo que por caminhos diferentes, continuamos caminhando juntas.  Olho pra trás e ao lembrar de toda essa trajetória sinto saudade, orgulho e alegria. E hoje, ao fotografá-la grávida, imagino o futuro. E me sinto feliz por compartilhar com ela a chegada do Pietro!

 

Sobre amigos e uma nova família

Faz um tempinho que estou devendo este post com as fotos de uma nova família. A família da Suzana, do Rodrigo e da pequena Maria Harumi. E hoje, dedico essa postagem não só a eles, mas a todos os meus amigos. Porque me lembrei da Suzana e de muita gente com uma conversa que ouvi ontem.

Perguntaram como é que eu faço pra ter amigos, onde é que eu os encontro. A pessoa me conhece desde criança e fica intrigada porque sempre fui uma criança tímida, quieta, de poucas palavras. Como me tornei uma adulta que conversa e que tem tantos amigos? Qual a receita? Quando me contaram, eu ri. Mas depois fiquei pensando na resposta que eu daria.

A primeira coisa que me veio à cabeça foi: eu sempre fico amiga dos amigos dos meus amigos. Sempre tem algum amigo (a) de amigo (a) com quem a gente se identifica, com quem a gente gosta de conversar. Deve ser a tal da empatia que faz a minha rede crescer (e não o Facebook!). Pra mim é um processo muito natural. Mas tenho percebido que pra muita gente não é. Então, começo a me sentir privilegiada por conhecer tanta gente bacana.

Não tenho receita. A única coisa que eu poderia dizer é: permita-se 😉

E aqui está a Paulinha, minha amiga que é amiga da Suzana. Na foto, as gêmeas Malu e Carol e o maridão Daniel =D

Maria Luiza

Maria Luiza chegou linda, delicada, perfeita, saudável e tranquila. Nestas fotos, ela está com 5 dias. A bebezinha mais novinha que já fotografei!

Agora, a vida de seus pais nunca mais será a mesma. Acredito que será melhor, cheia de esperanças, planos e alegrias. Começa agora um novo ciclo, uma nova história, uma  nova família.

“A decisão de ter um filho é muito séria. É decidir ter, para sempre, o coração fora do corpo”. [Desconheço o autor desta frase. Mas gosto dela, acho que traduz bem o amor incondicional que só um pai e uma mãe podem sentir].

Mais um importante capítulo registrado

Conheci esse garotinho lindo ainda bebê, em um batizado que fotografei no ano passado . Sorridente, ele adorava olhar para minha câmera (ou para mim?). A família toda acabou me conquistando com tanta simpatia. Sabe aquela sensação de que você conhece as pessoas faz um tempão? De tanta empatia!

Meses depois, acabei fotografando o aniversário de 1 ano do pequeno e na semana passada tive o privilégio de registrar também seu batizado e o almoço de confraternização.

Estou me dando conta de que cada reencontro é um capítulo registrado. Vou fazendo parte da história das famílias que contratam o meu olhar. E elas, certamente, estão em importantes capítulos da minha história.

 

Fotografia de amor com amor

Quem trabalha com amor é porque faz o que gosta. E às vezes ainda me assusto quando me dou conta de que estou tendo esse privilégio nessa nova fase da minha vida. Desisti da Jenipapo Comunicação para me dedicar à fotografia e ao Doce mundo de Lili. Não sei como será o futuro, mas posso dizer que estou feliz. E acho que no momento é isso o que importa.

O aniversário do Fernando Henrique foi fotografado na semana dessa minha decisão. E lá eu tive a certeza de que estava fazendo a coisa certa. Em que momento? Quando a festa acabou e a tia do pequeno Henrique  me disse que ela conseguiu enxergar o amor que eu coloco no meu trabalho. Mal sabe ela o quanto foi importante ouvir isso! Por essas e outras, concordo com quem diz que na vida nada (ou quase nada) é por acaso.

Agora, estou mais convicta de que quero continuar fotografando as relações de amor que eu vejo nos eventos, nos ensaios e na vida. Fotografando com amor. Aliás, já falei sobre isso neste post.

A alegria não está nas coisas, ela está em nós. [Richard Wagner] – Projeto M.I.L.K. (Moments of Intimacy, Laughter and Kinship).

 

Uma mulher cheia de encantos

Nesse sábado que passou, tive a oportunidade de participar do ensaio fotográfico da Cecília, realizado na Escola de Ecologia de São Caetano do Sul (SP). Ela não é modelo, mas certamente poderia ser. Pela beleza, pelo tipo físico e pela desenvoltura diante da câmera. No entanto, ao invés do glamour da moda, ela escolheu cuidar da Segurança do Trabalho na construção civil.

E pra quem acha que a aridez da profissão abala a feminilidade, Cecília comprova exatamente o contrário. Nesse ensaio, um presente que ela resolveu dar a si mesma pelo seu aniversário, Cecília mostrou-se uma mulher cheia de encantos.

A seleção abaixo é apenas uma prévia do que fotografei, com registro de making off (ou back stage?). As fotos oficiais do ensaio da Cecília foram clicadas por Dorival Zucatto, renomado fotógrafo no mundo da moda.

Meu amigo Dori

Conversa vai, conversa vem, entendi o que Cecília esperava dessa sessão. E descobri que tinha tudo a ver com o que o meu amigo Dori, o Dorival Zucatto, está oferecendo: um pacote que inclui um profissional de maquiagem e cabelo, além de tratamento de imagem específico para pele.

Então, recomendei o trabalho dele. Eu poderia ter feito? Sim, com certeza. Mas sem produção, maquiagem, cabelo, tratamento de imagem especial. Acredito que a Cecília ficaria satisfeita com o resultado. Mas eu sei o quanto muito mais satisfeita ela ficaria com toda essa pré-produção e com o resultado disso. Falo como fotógrafa e como mulher.

E não considero que perdi um trabalho. Como meu amigo Dori me disse um dia, “quando passamos para frente, abrimos espaço para receber”. Foi mais ou menos isso o que ele me disse, alguns anos atrás, quando me deu o flash dele. Acho que isso se aplica aqui.

PS.: Vale comentar que essa sessão foi pra lá de especial. Revi meu amigo, aprendi mais um pouco com ele e conheci pessoas muito bacanas: a própria Cecília, que eu não conhecia pessoalmente, a Renata, irmã dela, e a Martinha, excelente multiprofissional (cabelo, maquiagem e produção).